5.11.04

O acampamento

O blogue ficou deserto nesta última semana. O blogue como o palco e a plateia do Maria Matos, esvaziado de gente desde sábado passado. Depois da última noite de Urgências, aquele fantástico teatro municipal encerrou de novo as portas. Serão feitas obras e esperamos que reabra em breve, devolvido à cidade e aos cidadãos, com uma cara nova.
Percebemos, pela urgência com que mais de duas mil pessoas acorreram ao Maria Matos em apenas 12 noites, que inventámos uma coisa boa. Interessante, pelo menos. Sentimos que todos temos vontade de repetir a experiência e acreditamos cada vez mais que é possível tornar as Urgências um projecto que aconteça regularmente. Repetindo autores e actores e convidando pessoas novas, percebemos que talvez seja importante perguntarmo-nos que urgências temos para o ano e para outro e para outro. E desta fazê-lo com apoios, com tempo, a experimentar mais e a ir cada vez mais longe.
Os textos que compuseram este este espectáculo estarão, nas próximas semanas, disponíveis neste blogue. Assim que haja notícias sobre o futuro deste projecto, estarão também aqui neste blogue. Mas hoje, mais do que falar do futuro, é importante fazer o balanço destes meses intensos que foram a criação das primeiras Urgências. É curioso como, chegado a este ponto, percebo que já falei e escrevi tanto sobre o projecto que sou a pessoa menos indicada para fazer este balanço. Tudo o que disser vai soar a entrevista de promoção ou conversa de final de ensaio. Vou limitar-me a escrever o que seja absolutamente essencial.
Fazer as Urgências foi, acima de tudo, assistir a um exercício de generosidade. A generosidade dos autores que aceitaram colocar-se em causa e responder a uma pergunta, no mínimo, ambiciosa: o que é que tens de urgente para me dizer? A generosidade dos actores que se entregaram incondicionalmente a este projecto. A generosidade da produção, dos técnicos, de todos os que dedicaram o seu tempo a um projecto sem dinheiro, sem condições de trabalho, sem rede.
É quase ridículo agradecer a essas pessoas depois de ter visto a satisfação com quem enfrentaram a contrução deste espectáculo. A coisa certa a fazer, que não se pode fazer com um texto num blogue, é partilhar do sorriso que todos tinham estampado no rosto quando, pela última vez, saímos do Teatro maria Matos, no sábado passado. Escondido atrás do monitor do meu computador, do teclado, dos fios e ondas magnéticas que me afastam de quem leia este texto, eu partilho esse sorriso.
Sei que o momento é lamechas. Faz-me lembrar a única vez que fiz campismo. Fui para Vila Nova de Milfontes. Acampamento de Verão. Tinha 14 anos. Quando acabou começámos todos a chorar. É ridículo, é adolescente, é lamechas. Mas a verdade é que desde os 14 anos que não me sentia assim.

Adeus, campistas.

Tiago Rodrigues

10 Comments:

Blogger vanrose said...

Oh Tiago, acompanhei este projecto com bastante interesse. Li o blog de ponta a ponta, fui ver o espectáculo e, tanto a proposta como o resultado final, foram do meu agrado. Mas só me chateia que seja dito que foi um espectáculo sem apoios. Numa co-produção com as Produções Fictícias como é que podes dizer que foi sem apoio? Todos sabemos que as produções têm aquilo com que se fazem as omoletes( não Hamlets)e depois tiveram a cedência do Maria Matos, certo? Bom era só isto de resto estão de parabéns, Todos!

8 de novembro de 2004 às 09:44  
Blogger tiago said...

Respondendo ao comment que recebi a este último texto escrito para o blogue das urgências, assinado por vanrose: em primeiro lugar a co-produção com as Produções Fictícias é isso mesmo e não um apoio. O projecto surgiu nas PF e a ele juntou-se o Mundo Perfeito. Assim, não podemos dizer que seja um apoio uma vez que são as duas entidades produtoras do projecto. Em segundo lugar, é verdade que existe a cedência do Maria Matos em situação excepcional e, aí sim, trata-se de um apoio por parte da EGEAC e da Câmara de Lisboa que deveria ter mencionado. No entanto, quando me refiro a um espectáculo sem apoios quero apenas expressar aquilo que foi a realidade das Urgências, um espectáculo que começou a ser contruido sem um euro para ser gasto e com uma recusa de apoio financeiro por parte do Instituto das Artes (Ministério da Cultura). Todos os actores, autores, produtores, técnicos e outros criativos que trabalharam neste espectáculo aceitaram fazê-lo sem ter a certeza de vir a receber um euro com as receitas de bilheteira (uma vez que seria necessário cobrir primeiro os custos inerentes ao funcionamento do Maria Matos, à montagem do espectáculo, etc.).
Assim, por estranho que possa parecer, as Urgências foram mesmo uma omolete feita sem ovos. Sem clara. Sem gema. Só vontade.

9 de novembro de 2004 às 19:37  
Blogger David Ponte said...

Por vezes achamos que estamos sos, mas existe sempre alguem que nos acompanha.
Continua...

11 de novembro de 2004 às 17:52  
Blogger stillforty said...

Fui ver e gostei muito. Com apoio deste ou daquele o que interessa é que o estado não apoia o teatro, ou não tanto como devia...o resto é conversa da treta.
Acompanho o vosso blogue desde o ínicio. Espero que continuem.

11 de novembro de 2004 às 19:37  
Blogger vanrose said...

Still, pois a questão é essa. O estado ao apoiar o teatro deixa que este se encoste ( a maior parte das vezes) à bananeira. Por isso o meu interesse neste projecto, por isso acho que cada vez é mais importante as iniciativas "empresariais" que vêm aparecendo. Mas têm de ser assumidas como tal. Só assim os criadores podem ser completamente independentes nas suas escolhas e propostas e abanar as estruturas. "A conversa da treta" é um belo exemplo disso mesmo.

12 de novembro de 2004 às 10:49  
Blogger Piri said...

Tive a oportunidade de assistir a um dos espectáculos e naturalmente gostei muito.
Não estou por dentro da realidade dos apoios ( ou falta deles ) que são dados ao teatro mas, não me custa a acreditar que sejam quase nulos. O vosso valor é, nesse caso ainda maior e o que fazem é digno de nota.
Quero também deixar aqui a minha opinião sobre algo que penso que é urgente corrigir. É urgente tornar os preços dos bilhetes do teatro mais acessíveis, se no caso desta peça os bilhetes até são a preços suportáveis, outras há que são proibitivas para o público em geral mas especialmente aos jovens.
Tal como acontece com os livros! Chego a comprar versões originais de autores estrangeiros a metade do preço das versões traduzidas.
É urgente promover a cultura em Portugal, é preciso fazer algo em relação a isto antes que a sociedade esteja totalmente consumida.
É só uma opinião, força Tiago.
Grande abraço

14 de novembro de 2004 às 18:22  
Blogger lewiscu15oogreene said...

Hot News From The Automotive Lending Industry!!

+++++++++Current Profile+++++++++
InterFinancial Holdings, Corp (IFLH)
Current Price $0.036
+++++++++++++++++++++++++++++

Is this an undiscovered gem priced to go higher!!
Please read the following Announcement in its Entirety and Consider the Possibilities�
Watch this One to Trade!

IFLH announces Senator David Cain has joined its Board of Directors!!

IFLH volume trading is beginning to surge with landslide Announcement. The value of this
stock appears poised for growth! This one should not remain on the ground floor for long.

BREAKING NEWS!!
InterFinancial Holdings, Corp. (OTC Pink Sheets: IFLH - News) announced that they have added
David Cain to their board of directors. David Cain is currently the Chairman of the advisory
board to TTI (Texas Transportation Institute). Senator Cain represented Senate District 2 for
eight years in the Texas Senate and Chaired the Senate State Affairs Subcommittee on
Transportation and served nine terms in the Texas House of Representatives for District 107.

During his twelve years as Chairman of the House Committee on Transportation, Senator Cain�s
efforts on behalf of the people of Texas have been widely recognized. He was named to Texas
Monthly Magazine�s list of Ten Best Legislators, the Dallas Morning News said he was one of
the outstanding legislators of the 73rd session, and the Texas Department of Transportation
awarded him the Russell H. Perry Award in 1995 for his efforts to gain public awareness of
the need for and benefits of transportation facilities in the State of Texas.

Jeffrey C. Bruteyn, Managing Director, stated, We at InterFinancial are proud to have such a
widely recognized Senator join our board and oversee out automotive lending division. His
affiliations and connections to the automotive industry will be invaluable to our company.
Senator Cain will be instrumental in expediting our approval to use a government issued Seller
Finance License.

Seller Finance Licenses are very difficult to obtain and are usually reserved for the Big Boys
with heavy lobbyists. These licenses are highly coveted because it allows the finance company
to collect the entire down payment, instead of paying a portion of it to the taxing authority.
This dramatically helps a finance company�s bottom line if the buyer defaults on the loan.

With the new GPS tracking systems being installed on every car to dramatically improve
repossessions and with Senator Cain on the Board of Directors, InterFinancial Holdings
is ready to take their business to the next level.

Conclusion:

The examples above show the Awesome, Earning Potential of little known Companies
That Explode onto Investor�s Radar Screens. This stock will not be a Secret for long.
Then You May Feel the Desire to Act Right Now! And Please Watch This One Trade!!
GO IFLH!

All statements made are our express opinion only and should be treated as such. We may own,
take position and sell any securities mentioned at any time. Any statements that express or
involve discussions with respect to predictions, goals, expectations, beliefs, plans,
projections, objectives, assumptions or future events or performance are not statements of
historical fact and may be "forward looking statements." Forward looking statements are based
on expectations, estimates and projections at the time the statements are made that involve a
number of risks and uncertainties which could cause actual results or events to differ materially
from those presently anticipated. This newsletter was paid four thousand dollars from a party
(IR Marketing). Forward looking statements in this action may be identified through the use of
words such as: "projects", "foresee", "expects". in compliance with Section 17(.b), we disclose
the holding of IF LH shares prior to the publication of this report. Be aware of an inherent
conflict of interest resulting from such holdings due to our intent to profit from the liquidation
of these shares. Shares may be sold at any time, even after positive statements have been made
regarding the above company. Since we own shares, there is an inherent conflict of interest in
our statements and opinions. Readers of this publication are cautioned not to place undue reliance
on forward-looking statements, which are based on certain assumptions and expectations involving
various risks and uncertainties that could cause results to differ materially from those set forth
in the forward- looking statements. This is not solicitation to buy or sell stocks, this text is
for informational purpose only and you should seek professional advice from registered financial
advisor before you do anything related with buying or selling stocks, penny stocks are very high
risk and you can lose your entire investment.

14 de agosto de 2005 às 20:48  
Blogger HI5B0AS said...

A IDEIA DOS POST-ITS FOI MUITO BOA.
O ESPECTACULO E O BLOG MUITO BONS.
O APOIO É ISTO.
CONTINUEM A ACREDITAR...

1 de novembro de 2005 às 20:02  
Blogger dwainfrie2309 said...

I read over your blog, and i found it inquisitive, you may find My Blog interesting. My blog is just about my day to day life, as a park ranger. So please Click Here To Read My Blog

30 de dezembro de 2005 às 10:38  
Blogger dwainbenson0001 said...

I read over your blog, and i found it inquisitive, you may find My Blog interesting. My blog is just about my day to day life, as a park ranger. So please Click Here To Read My Blog

30 de dezembro de 2005 às 10:41  

Enviar um comentário

<< Home