29.9.04

O mágico sem cartola

O Maria Matos estava fechado e foi reaberto especialmente para o projecto Urgências. O que encontrámos no primeiro dia de ensaios foi um teatro despido dos panos, da parafernália técnica, dos pormenores que lhe dão o aspecto de um lugar de ilusões. Um teatro como um mágico que perdeu a cartola e não tem como fazer surgir do nada os seus coelhos brancos.
É precisamente numa casa assim, um teatro nu, que queremos construir este espectáculo feito de urgências. E desejamos que o público deste espectáculo possa ver a carcaça do teatro, aquilo que quase sempre é escondido em nome da ilusão: as cordas, as portas, as varas, os projectores, os fios, os bastidores, a realidade.
As urgências são coisas que não podemos esperar mais tempo para dizer. Quando as dissermos podem ser velozes como um telegrama ou uma mensagem deixada num post it, podem ter engasgos e hesitações, mas serão vitais. A 15 de Outubro queremos que este teatro seja uma assembleia onde são ditas as coisas que realmente nos fizeram estar na rua nessa noite. Não há tempo nem vontade de tirar coelhos da cartola. O mágico terá que parar de nos entreter e dizer o que pensa. TR

2 Comments:

Blogger stillforty said...

Vou!

1 de outubro de 2004 às 19:19  
Blogger bel said...

coloquei no google "fantasmas de teatros", ai apareceu teu blog. já li alguns arquivos. Interessante.
teatros são casas aconchegantes, diga a bailarina aqui

18 de julho de 2008 às 16:20  

Enviar um comentário

<< Home